Monday, 6 Dec 2021

DEIXE-ME VER A ANA LAURA MESQUITA

O Deixe me ver de hoje, quadro do IDCast do IDQ – Instituto Dom Quixote, trouxe a Ana Laura Mesquita, graduada em direito, coordenadora de comunicação do partido Solidariedade e ativista dos direitos das mulheres. A conciliação dessas atuações resulta em projetos sociais admiráveis. Quer saber sobre eles? Continue lendo!

Apesar de sua formação, Ana decidiu usufruir os conhecimentos que adquiriu do curso para outras áreas, principalmente para causas sociais e políticas. Ela explicou que “tinha certeza que advogar era algo que eu não queria […]. Eu não acredito muito na justiça do país por ser uma justiça lenta. Então eu falo, ‘eu não sei vender isso, porque eu mesma desacredito’”. E como ela queria “mexer com gente”, começou a trabalhar direto com pessoas, mas de outras formas.

NENHUMA A MENOS

Junto com a Laiz Soares, Ana idealizou o projeto de apoio às mulheres vítimas de violência doméstica: “Nenhum a Menos”. O projeto é INCRÍVEL e muito NECESSÁRIO. É mais uma opção de ajuda para as mulheres. Através das redes sociais do “Nenhum a Menos”, principalmente pelo grupo do WhatsApp, as meninas dão todo o suporte necessário. Orientações legais de advogadas e apoio psicológico de profissionais voluntárias são algumas das ações que elas fazem.

Já no Instagram @nenhumamulheramenos, elas trazem postagens de conscientização contra a violência e pautas sobre a mulher na sociedade. Sua formação em direito ajuda muito nessa área, principalmente quando se trata de legislação. Então, tá esperando o que? Já segue lá!

O motivo de terem iniciado o projeto foi por causa de um feminicídio (homicídio cometido contra a mulher, ou por ela ser mulher, pela diminuição do gênero, ou por violência doméstica) de uma jovem da idade da Ana, 23 anos, assassinada pelo marido em dezembro do ano passado. Esse crime foi o estopim para que decidissem lutar pelas mulheres, principalmente da região. Por isso, o principal lema do “Nenhuma a Menos” é: “Em briga de marido e mulher, a gente mete a colher sim”.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NA PANDEMIA

A violência doméstica é um assunto necessário que precisa ser discutido, principalmente na quarentena. Isso porque os números de denúncias diminuíram, mas não por causa da diminuição dos casos, e sim a omissão dele. Segundo o Estado de Minas, as autoridades explicam que isso pode representar uma subnotificação diante da dificuldade de denúncia.

De acordo com dados da Polícia Civil de Minas Gerais, de março a junho deste ano, 44.413 mulheres denunciaram ter sofrido violência doméstica. Ou seja, 364 mulheres abusadas por dia. Neste mesmo período do ano passado, eram 48.956 e, em 2018, 47.682. Além disso, 37 mulheres foram vítimas de feminicídio em pandemia.

Os números ainda são altos e precisam ser divulgados para aumentar a importância da conscientização contra a violência e o feminicídio.

Por isso, projetos como o da Ana e da Laiz são tão incríveis. Elas facilitam o acesso à essas mulheres, que muitas vezes deixam de denunciar devido ao constrangimento de irem à polícia.

COMUNICAÇÃO NA POLÍTICA

Paralelamente a esse projeto, Ana Laura também leva a representatividade feminina para a política. Ela coordena a comunicação e auxilia nas pré-candidaturas do partido Solidariedade, de Divinópolis. Ué, mas ela não é formada em direito? SIM, mas se descobriu na comunicação: “A parte da comunicação foi uma coisa natural, surgiu no começo, tomando conta no Instagram do “Nenhuma a Menos” […], e depois veio o partido com essa questão de rede social, responder imprensa e assessoria. Foi um caminho natural”, conta.

E nesse partido, ela ajuda principalmente as vozes femininas que estão se elegendo. Ajuda muito necessária, pois em Divinópolis, por exemplo, nunca teve uma mulher como prefeita. Para tentar mudar este cenário, ela está coordenando a candidatura de sua colega Laiz para a prefeitura da cidade: “nós mulheres somos a maioria do eleitorado em Divinópolis e do país, e mesmo assim, pouco mais de 10% das prefeituras são chefiadas por prefeitas”.

MULHERES POUCO REPRESENTADAS

Apenas 1 a cada 10 candidaturas para as prefeituras é de mulher. É o que traz o levantamento do G1 com base no repositório de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Como exemplificado pela Ana, 13% do total de candidatos são mulheres. Ou melhor, 2.496 mulheres candidatas para o Executivo municipal num total de 19.141 candidatos. Além disso, os nomes de mulheres na disputa a prefeito não são maioria em nenhum dos 33 partidos.

Essa desigualdade é o combustível para que ela coordene da melhor forma a campanha da Laiz para prefeitura de Divinópolis.

TEDX DIVINÓPOLIS

Outro trabalho voluntário em que Ana participa é o TEDx Divinópolis. Para ela, “é um projeto e sonho que orgulho muito”. Para quem não conhece, o objetivo do TEDx é levar ideias e boas práticas que merecem ser espalhadas em um formato de palestra curtinhas.

O evento aconteceria este ano presencialmente, mas devido à pandemia, não teve como. Porém, temos uma novidade EXCLUSIVA: vai rolar o TEDx online e vai ter muita gente bacana nas palestras, vale a pena conferir. Não substituirá o presencial, que vai acontecer, assim que tudo estiver normalizado. Sigam eles no insta para saber mais sobre o evento: @tedxdivinopolis

OUÇA A ENTREVISTA

Diante de tantos projetos e iniciativas maravilhosas, dá para perceber que a Ana é uma pessoa iluminada e que merece ser reconhecida. Por isso, corre lá no novo episódio do #DeixeMeVer pra saber TUDO sobre ela! Estamos no Spotify, Apple Podcasts, Castbox, Google podcasts e todos os outros agregadores! Ouça:

PARCERIA COM O INSTITUTO DOM QUIXOTE

O Instituto Dom Quixote é uma produtora de impacto social! Eles planejam e executam projetos sociais junto de pessoas e empresas que querem ajudar, mas não sabem como. O Deixe me ver é um novo quadro do IDCast, onde entrevistam jovens para expor seus projetos por meio de uma perspectiva social, com apresentação do voluntário e artista, Gabriel Galvão.

Já tivemos uma outra parceria com o IDQ na coluna #Impactar, quando falamos de música para todos. Clique aqui e veja a matéria completa.

1 thought on “DEIXE-ME VER A ANA LAURA MESQUITA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *