Monday, 24 Jan 2022

IGOR PITANGUI SE JOGA NA DANÇA NO CLIPE DE “PANCADÃO”

Foto: Nini Delplace

Igor Pitangui, mineiro de Belo Horizonte (29 anos), após 20 anos na dança, constrói a sua ponte para a carreira musical, apostando na fusão dos gêneros Pop, EDM com o Funk e outros ritmos brasileiros. 

Ele vem se aprofundando neste universo e vê o momento como uma “virada de jogo” em sua vida.

A letra de “Pancadão” foi composta pelo artista em meio ao confinamento da pandemia (Covid-19). Um escape criativo manifestado pela urgência de compartilhar a energia contida nesta realidade caótica que atravessou as nossas vidas.

Trata-se de um convite, ou melhor, uma convocatória para estar no presente, aqui e agora. É a celebração da própria existência, que nestes tempos se revela em forma de resistência.

“Que possamos então resistir em movimento, desopilando as dores, o luto e a indignação.” diz ele.

A letra é mesmo um pancadão e traz trechos como: “Solta o Pancadão que hoje eu quero é dançar, o meu close é certo e se tem palco eu vou brilhar”, “Se eu me coloco pra ser entretenimento, sei que viro alvo para o seu julgamento”, “Não adianta tentar se esconder, o tal cancelamento todo mundo vai viver”.

Assista ao clipe de “Pancadão”!

O beat é assinado por Jham, produtor da República Dominicana, já a engenharia de som ficou a cargo do produtor musical Vitor Garbela (Garbela Home Studio), que trabalhou com a pós produção, mixagem, a masterização, e já se tornou um grande parceiro também para os próximos lançamentos do artista.

Muito animado com o lançamento musical, Igor Pitangui diz:

“Acredito muito na potência de Pancadão, é uma música divertida, dançante, e ao mesmo tempo é política, feita para extravasar mesmo! Precisamos canalizar nossas energias acumuladas para algum lugar, que seja então para coisas relevantes e expressões criativas” ele afirma e completa “Eu escrevi essa música para estimular reflexões sobre o universo digital, a busca por padrões, cancelamentos, e toda essa pressão estética e temporal, quem prestar atenção na letra vai morder a isca. Também quis deixar clara a minha narrativa contra o negacionismo e como membro da comunidade LGBTQIAP+, da qual eu faço parte com muito orgulho! Aprendi com a vida que não vale a pena se prender a rótulos, é possível balançar a raba, refletir, e se posicionar, tudo junto e misturado assim mesmo! A dança salvou minha vida na infância e agora a música me resgatou na vida adulta, estou muito feliz e orgulhoso deste single e já digo que vem muito mais por aí!” diz o artista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *